Diagnosticando o Câncer de Mama durante a Gravidez

O câncer de mama durante a gravidez é raro, diagnosticado 1 em cada 3000 mulheres grávidas. Apesar de ser o tipo mais comum de câncer diagnosticado durante a gravidez, amamentação ou no primeiro ano após o parto.

Quando o câncer de mama é diagnosticado em uma gestante é denominado câncer de mama gestacional ou câncer de mama associado à gravidez, e pode ser mais difícil de ser diagnosticado.

As alterações hormonais durante a gravidez fazem com que as mamas se tornem maiores, granuladas e sensíveis. Isso pode tornar mais difícil que a própria paciente ou seu médico notem um nódulo causado pelo câncer até que esteja grande o suficiente para ser percebido.

Outra razão é o fato que muitas mulheres deixam para fazer o rastreamento do câncer de mama com mamografias para depois do parto. E, como a gravidez e a amamentação podem tornar o tecido mamário mais denso, pode ser mais difícil visualizar o câncer precocemente na mamografia.

Em função disso, quando uma mulher grávida desenvolve câncer de mama, muitas vezes é diagnosticada em uma fase mais avançada do que seria se ela não estivesse grávida.

Mamografia

A mamografia pode diagnosticar a maioria dos cânceres de mama em uma mulher grávida, e geralmente é seguro realizar durante a gravidez. A quantidade de radiação necessária é pequena e focada nas mamas.

Para uma proteção extra, é colocado um avental de chumbo sobre a parte inferior do abdome para evitar que a radiação atinja o útero.

Ultrassom

Os exames de ultrassom não usam radiação, são considerados seguros durante a gravidez. Normalmente, é o primeiro exame realizado para avaliar uma alteração na mama.

Ressonância magnética

A ressonância magnética não usa radiação. Porém, o material usado como contraste na ressonância magnética pode atravessar a placenta, que já foi associado a anormalidades fetais em animais de laboratório.

Por esse razão, a ressonância magnética com contraste não é indicada durante a gravidez.

Biópsia mamária

O resultado do exame de imagem anormal pode causar preocupação, mas a única maneira de diagnosticar se uma alteração é câncer é realizando uma biópsia. As biópsias mamárias são frequentemente realizadas com anestesia local e guiadas por ultrassonografia.

Se ela não dá um diagnóstico, a biópsia cirúrgica é o próximo passo. Ou seja, será preciso retirar uma amostra maior de tecido da mama. As biópsias cirúrgicas são frequentemente realizadas sob anestesia geral.

Exames de estadiamento

Se o câncer de mama for diagnosticado, a paciente precisará fazer outros exames para verificar se as células cancerígenas se disseminaram para mais órgãos. Esse processo é denominado estadiamento da doença.

Outros testes, como PET scan, tomografia computadorizada e raios-X não são recomendados durante a gravidez para não expor o feto às radiações. Se um desses exames for necessário, devem ser feitos ajustes para limitar a quantidade de exposição.

Dr. Eduardo Millen, Coordenador do Serviço de Mastologia – CRM 52.73.960-5

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: