Agosto Dourado: especialista em aleitamento da Perinatal/Rede D’Or aborda sobre a importância do ato de amamentar

Agosto marca o mês de conscientização da amamentação. A prática é responsável pela criação do vínculo entre a mãe e o bebê, e traz inúmeros benefícios para o sistema imunológico da criança. A Gerente de Enfermagem da Perinatal/ Rede D’Or e especialista em amamentação, Graziela Abdalla, explica que leite materno é, mais do que nunca, a maneira mais eficiente de proteção. “Ele transmite anticorpos, e é considerado a primeira vacina que o bebê recebe”, pontua.

E nesse momento de pandemia, muitas dúvidas permeiam mães e gestantes a respeito do aleitamento. No entanto, Graziela esclarece que as mulheres que se vacinaram não precisam pausar a amamentação. Além disso, a especialista aborda sobre a questão da Covid com a prática. “O coronavírus não foi detectado no leite materno de mães confirmadas ou suspeitas. Até o momento não há evidências de que o vírus seja transmitido através da amamentação. Amamentar continua sendo a melhor maneira de proteger”.

Proteja a amamentação: uma responsabilidade compartilhada

Na Perinatal/ Rede D’Or, a Gerente de Enfermagem e especialista em amamentação colaborou na elaboração da Campanha Interna sobre a Semana Mundial do Aleitamento Materno. Graziela explica que a criação da ação foi baseada no tema definido, esse ano, pela WABA – Aliança Mundial para Ação de Aleitamento Materno: ‘Proteja a amamentação: uma responsabilidade compartilhada’. “Nosso objetivo estão definidos em quatro pilares: informar as pessoas sobre a importância de proteger a amamentação; apoiar a amamentação como uma responsabilidade vital de saúde pública; articular com indivíduos e organizações para maior impacto; e potencializar ações para proteger o aleitamento materno para melhorar a saúde coletiva”, explica.

A Campanha conta com a participação de vários hospitais da Rede, em um movimento que busca potencializar o ato de amamentar, contribuindo para a saúde coletiva e melhoria do planeta. “Estamos mobilizando equipe e pacientes com a utilização de paródia, duas dinâmicas, além de lives e palestras abertas ao público. Com informação e engajamento, protegeremos a amamentação”, celebra Grazi.

Dificuldade de amamentar

Algumas mulheres que estiveram internadas por conta do agravamento da Covid relataram dificuldade em amamentar. A especialista explica que esse obstáculo não está diretamente relacionado à doença. O afastamento temporário, por conta da internação, ansiedade e a falta de estímulo da mama, levando a produção de leite, podem ser fatores para esse impasse. No entanto, de acordo com Graziela esse quadro é possível ser revertido através do suporte à mulher. “Toda dificuldade é reversível. Com muito trabalho, apoio e carinho é possível proteger e promover a amamentação”, releva. Ela também recomenda que gestantes e puérperas cuidem da saúde mental durante esse momento. “Sabemos que o aleitamento é difícil para algumas mulheres, então uma dica importante é cuidarmos da mente”. Exercícios de meditação e atividades prazerosas podem ser benéficas para a lactante.

Graziela Abdalla, Especialista em Aleitamento Materno e Gerente de Enfermagem da Perinatal
COREN-RJ 100380

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: