Com mais de 25 de Perinatal, Regina González, Diretora Operacional da unidade de Laranjeiras conta como iniciou sua carreira e a importância da empatia no atendimento a mulheres

No último dia 8 foi comemorado o Dia Internacional da Mulher. A data marca a luta por direitos iguais e força do gênero feminino. Na área de saúde, especificamente, as mulheres são maioria, – e no quadro de funcionários da Perinatal/ Rede D’Or esse número também se mantém elevado e relevante.

Uma das diversas profissionais que atuam como colaboradora da instituição é a enfermeira obstétrica, Regina González, que hoje possui a função de Diretora Operacional da unidade de Laranjeiras. No entanto, o seu trabalho para instituição teve início há anos. “Fui admitida na UTI Neonatal Lagoa onde existiam apenas 24 leitos. Um ano depois os médicos responsáveis compraram a Casa de Saúde Laranjeiras e resolveram criar um serviço  inovador. A proposta era um atendimento de obstetrícia voltado para gestação de risco”, explica.

Como o novo espaço precisava de reformas, a profissional teve a oportunidade de participar ativamente da organização, definir mobiliários, materiais cirúrgicos, materiais de consumo, admissão de pessoal não só da enfermagem, como também recepção, hotelaria, manutenção, almoxarifado, farmácia. “Foi um grande aprendizado, seguido de muita responsabilidade, pois era um serviço novo para todos. Inauguramos com um serviço diferenciado, e assumi então a gerência de enfermagem da Perinatal Laranjeiras, em 1993”.

O atendimento diferenciado e o serviço prestado fizeram com que a Perinatal conquistasse seu espaço entre as mulheres. Regina conta que para oferecer todo cuidado possível as pacientes, foi inaugurada, em 1998, a nova ala com o dobro de quartos existentes. Já em 99 foi a vez da UTI do Amparo Feminino. Outros projetos foram saindo do papel, e Regina sempre esteve colaborando para execução. “Até 2012, fazia a gerência de enfermagem de todas as unidades. No início de 2013 fui designada para diretoria  operacional de Laranjeiras onde permaneço até hoje”, relembra.

Com pós-graduação em enfermagem Neonatal e MBA em Gestão de Saúde pela COPPEAD – UFRJ, Regina González acredita que se colocar no lugar de uma mulher, naquele momento de vulnerabilidade,  é crucial para que as pacientes se sintam acolhidas e, principalmente, para que seu trabalho seja desempenhado com tanto sucesso. “É importante ter um olhar sensível para as necessidades das nossas pacientes, ter empatia”.

Para as profissionais que estão iniciando sua carreira e pensam em chegar longe, Regina recomenda “pense que atendimento à saúde é doação”. Ela também aborda sobre coragem e determinação. “É preciso incentivar as mulheres para seu crescimento profissional, autoconfiança e liderança”.

Diretor Técnico Médico:
Dr. José Maria de Andrade Lopes
CRM 226222 RJ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: